Como precificar seus serviços

Vamos adivinhar… Você está pensando em trabalhar por conta própria, certo? Bom, as vezes é difícil saber por onde começar, mas nós vamos te ajudar!

Ser um profissional autônomo pode trazer muitos benefícios como: Autonomia (como o próprio nome diz), mobilidade física, horários flexíveis, entre outros.

Mas, além disso existem alguns desafios que acompanham esta escolha, e um dos mais importantes que precisa ser superado antes de qualquer coisa é: O valor que será cobrado pelo seu serviço/produto… Você já parou pra pensar em como você irá precificá-los?

Sim, a rentabilidade é uma das maiores questões quando você está começando o seu negócio. Por isso, é importante estar bem informado para evitar prejuízos e garantir um bom salário no fim do mês.

Conheça os principais elementos que formam o preço final de um produto/serviço

   1.    Custos variáveis:

Existem vários itens que precisam ser levados em consideração na hora de determinar o valor a ser cobrado, dentre eles estão os custos variáveis e os custos fixos, mas vamos por partes.

O custo variável diz respeito à gastos que serão relativos e irão variar conforme a demanda, como:

  • A matéria prima. Por exemplo, a quantidade de alimentos que uma cozinheira precisa comprar para atender a demanda (o que irá variar conforme o seu segmento);
  • Transporte. Você irá precisar se locomover ou o seu cliente irá até você?
  • Alimentação. Você precisará comer fora para conseguir atendê-lo?
  • Horas de trabalho, afinal, quanto mais horas mais deve ser cobrado por mão de obra;

Obs. Neste caso é preciso fazer o cálculo levando em consideração margens de erros para que você não saia no prejuízo com um ingrediente estragado, um equipamento quebrado, etc.

 

   2.    Custos fixos:

Já os custos fixos, por sua vez, também podem aumentar ou diminuir, mas não tem relação com alteração de demanda. Por isso, antes de definir o valor tenha os seus gastos bem estabelecidos para não alterar o valor em cima disso.

Por exemplo, se você estiver realizando uma função em casa, deve-se contar gastos como:

  • Aluguel;
  • Luz;
  • Água;
  • Alimentação;
  • Equipamentos;
  • Manutenção;

Além do que, se você tiver funcionários adicione este gasto fixo na sua lista, e não esqueça do seu próprio salário!

 

   3.    Margem de lucro

A margem de lucro é aquilo que todo profissional almeja. Ela é o “valor extra” que você recebe depois de descartar os custos variáveis + fixos. Em outras palavras é ela que será aquilo que você não pode esquecer: O seu salário.

Bom, não adianta trabalhar apenas para sobreviver não é mesmo? As pessoas precisam de laser e descontração, e é por isso que a margem de lucro é tão essencial assim!

Mas tenha cuidado na hora de estabelecer o valor! Um preço muito alto irá assustar os clientes, ainda mais se você está começando o seu negócio agora.

Por isso, além de oferecer um preço justo, também é importante oferecer um serviço de valor, que te diferencie dos demais profissionais.

Conhecer o que o seu cliente valoriza te dá uma margem para se aperfeiçoar e se destacar, fazendo com que valha a pena pagar pelo seu serviço, e nada melhor para isso do que investir no seu aprimoramento profissional com cursos, não é mesmo?

valor do seu serviço

Quer mais uma dica?

Estar atento aos seus concorrentes e clientes também é um ótimo parâmetro para ter noção de mercado, mas não defina apenas com base nisso! Lembre-se que o seu serviço/produto é só seu, então se baseie nele para definir valores!

Agora que você já sabe precificar é a hora de garantir os melhores cursos técnicos e profissionalizantes para que você se torne um excelente profissional e consiga aumentar a sua renda ainda mais!

Conheça as opções ofertadas pelo Cetep Ensino!

www.cetepensino.com.br

Tags: como precificar seus serviços, cursos profissionalizantes curitiba, cursos profissionalizantes em curitiba, cursos técnicos curitiba, cursos técnicos em curitiba, escola profissionalizante curitiba, escola técnica curitiba, profissional autônomo, quanto cobrar pelo seu serviço